Sendo a Permacultura uma ferramenta de reintegração e conexão do Homem com todo o sistema de vida de que faz parte, e a Arte uma forma de expressão de toda a complexidade inerente à emoção e manifestação humana, ambas se tocam em fronteiras frágeis, quase imperceptíveis, porque uma e outra procuram resgatar o que de mais profundo há na existência. Ambas tentam equilibrar os polos interno/externo com o mais delicado toque e o mais intenso cuidado de nutrição. Uma e outra, embora com paletas diferentes, preenchem os sentidos, libertam-nos das amarras e ligam-nos a novas e mais amplas perspectivas. O seguinte trabalho surge no contexto da dinâmica Permacultura em Arte [Curso de introdução à Permacultura - Março'15] e foi realizado por uma das nossas estudantes Suzana Silva. Gratos pela partilha e visão inspirada.

"*Fora alguém que está à escuta do momento certo para entrar.

O círculo da diversidade (fruta contem as sementes, pois a diversidade contém a riqueza de qualquer projecto):

Alimento recurso recolhido e armazenado em círculo ilustrando o contexto em que é mais interessante fazer as refeições, em conjunto e em partilha e escuta daquilo que somos com os outros;

Beleza simétrica ilustrando os padrões da natureza e o tipo de movimentos curvilíneos em que esta se move e se melhor fluí, para além disso valorizando a importância da criação e do convívio com beleza para o bem estar interior;

Casa feita de Paus em equilíbrio (o equilíbrio entre as várias partes é o que permite erguer e sustentar a casa, neste caso é uma metáfora também para projecto de permacultura);

Linhas de Folhas que separa o dentro e o fora (seja na relação de cada um consigo mesmo ou da comunidade permacultura/projecto com os restantes locais), pela importância das bordas e do diálogo aberto entre um lado e o outro.

Porta aberta acolher o que vem de fora, seja da natureza ou das pessoas e para relembrar a importância de observar.

Dois vasos de Aloe Vera, simbolizando a capacidade de "cura" de ter um lugar a que se sente que se pertence e onde nos sentimos em casa e em directa ligação com a natureza relembrando-nos que ela é em sentido alargado a nossa casa e/ou Aloe Vera a entrada da casa/projecto de permacultura porque em si mesmo ele é um exemplo de "cura" daquilo que está doente no mundo.

Metade de uma tangerina que alguém não comeu toda, já aberta à porta da casa, para partilhar os excedentes com quem passar, e símbolo da campainha para entrar na casa da permacultura, disponibilidade para partilhar.

Todos os materiais utilizados estavam ao meu alcance directo no espaço casa onde vivo e voltaram à sua função depois do mesmo (respeitando o observar, reutilizar, respeito pela função temporária dos elementos). No arranjo da obra foram experimentadas duas possibilidades de casa e 5 do círculo da diversidade. Em termos emocionais, gostei muito de fazer esta tarefa, onde me senti envolvida numa actividade em "mindfullness" e a por em prática a minha criatividade e sinto-me grata a vós pela proposta que me levou a este momento. Obrigada.

Não tinha-me escrito a parte teórica, porque pensei que seria apenas uma actividade não verbal, mas como tinha tanto dentro dela que se calhar não passava, gostaria também de acrescentar o que esteve por detrás dela. Mas sim em resumo pode dizer-se que: casa, comida e natureza é tudo o que precisamos!!!*"