A transição para um mundo holístico não vai acontecer de um dia para outro. Não vai resultar de um conjunto de iniciativas políticas. Vai acontecer porque milhares de pessoas em todo o mundo estão a trabalhar independentemente, conectadas pela mesma consciência e ativamente comprometidas em criar uma verdadeira mudança. A mudança dá-se quando a sociedade, os seres humanos independentemente da posição social que ocupam, se empoderam e atuam coletivamente em relação a algo.

Á medida que aprendem uns com os outros e verificam que partilham a mesma visão, a cooperação entre elas irá surgir de forma natural. A visão é de um planeta vivo, no qual os seres humanos cooperam com a Natureza, em toda a sua diversidade, para criar unidade, justiça e amor. Uma das condições necessárias para uma transição com exito é o apoio das pessoas que vêem que algo está mal na nossa sociedade e que estão dispostas a unir-se aos ativistas. Os ativistas não podem realizar esta mudança sozinhos, podem sim criar a base que inspira e leva finalmente a uma verdadeira mudança com a participação de todas as partes da sociedade.

Mais do que nunca, a sociedade deve posicionar-se como protagonista no território da biodiversidade e entender a sua conexão com a natureza e as consequências das suas ações sobre ela. O homem é parte da natureza assim como todos os seres vivos que dela fazem parte, somos iguais em vida e somos responsáveis do meio ambiente em que vivemos.

Podemos, ao invés de nos lamentar e ficar passivos, AGIR e CONTRIBUIR com o coletivo de pessoas e seres que já trabalham pela transformação do Planeta Terra.