Tempo de mudanças

 In Visão do Mundo

Não há nada a temer, nada com que lutar, porque o presente já é!

Os seres humanos são parte do todo. O ser humano vivência a si mesmo, os seus pensamentos, os seus sentimentos como algo separado do resto do universo numa espécie de ilusão de ótica da sua consciência. Esta ilusão é uma espécie de prisão que nos restringe aos nossos desejos pessoais, conceitos e ao afeto por pessoas mais próximas. A nossa principal tarefa é a de nos livrarmos desta prisão, ampliando o nosso círculo de compaixão, para que ele abranja todos os seres vivos e toda a natureza em seu esplandor.” Albert Einstein

Vivemos um momento único na história da nossa civilização, com vários desafios em simultaneo: a deterioração do meio ambiente, a desigual distribuição dos recursos cada vez mais escassos, a extensão da pobreza, das guerras, as mudanças climáticas, o pico do petróleo, a opressão de povos. Estes problemas estão interligados e são interdependentes. Foram provocados pelo ser humano, pela sua maneira de se relacionar consigo próprio, com os outros e com a Natureza — são simplesmente o reflexo da nossa visão do mundo.

A raiz dos graves problemas que enfrentamos hoje está na desconexão com a Natureza. A espécie humana está a tornar-se numa espécie urbana. Presentemente, mais de metade da população mundial vive em cidades; no início do século XIX apenas 3% dos habitantes do mundo vivem nas cidades. A civilização e a cultura das cidades, parecem ter como principal objetivo a substituição da Natureza por um ambiente inteiramente construido por humanos. Chegou-se ao ponto em que os seres humanos são considerados verdadeiramente superiores à Natureza. Como é possível? Os seres humanos são, têm sido sempre, e sempre serão parte integral da Natureza, e uma aparição bastante recente na trajetória de 3,5 bilhões de anos de biologia evolutiva que representa a saga da Vida na Terra. Este orgulho destemido que tem a pretensão de se considerar superior, degradando assim a Natureza como algo explorável e descartável, gerou um movimento de forças destrutivas e difíceis de controlar.

Felizmente o paradigma está a mudar. É tempo de mudanças. A física quântica está a induzir-nos a uma mudança de paradigma. O novo paradigma é sempre novo, vive no momento, no presente, está para além do tempo e do espaço. Não é algo que pode ser entendido racionalmente, é algo para ser vivido existencialmente. Não há nada a temer, nada com que lutar, porque o presente já é!

Comments

comments

Recent Posts
0

Start typing and press Enter to search